Objetivos


O SIAV existe para que as empresas da indústria audiovisual do Rio Grande do Sul possam trocar informações e experiências, e assim aumentar a qualidade de sua produção e melhorar seus resultados.
Também serve como legítimo elo de ligação de nossas empresas com Governos e com entidades e associações como Fundacine, FIERGS, Conselho do CBC – Congresso Brasileiro de Cinema, FUMPROARTE, Conselho de Cultura do Rio Grande do Sul, APL do Audiovisual, Fundação Piratini, SECOM, Aprosom, Abap, ARP e ANCINE, entre outras.
Nesse momento, o papel do SIAV é de importância vital: as mudanças na legislação brasileira do audiovisual apresentam um quantidade inédita de oportunidades e desafios que, mais que nunca, tornam necessária a colaboração entre as empresas associadas.
 

 
A Lei 12.485
 
A Lei da TV Paga (ou Lei 12.485) determina que todos os canais de TV por assinatura devem exibir, em horário nobre, pelo menos 1 hora e 10 minutos por semana de programação nacional, metade dela independente.  

Segundo Manoel Rangel, diretor presidente da Ancine, quando a Lei da TV Paga estiver plenamente em vigor, haverá uma demanda anual por mil horas de conteúdo audiovisual brasileiro inédito – e 500 horas virão de produtoras independentes.

O FSA - Fundo Setorial do Audiovisual

Empresas interessadas em receber recursos devem se inscrever no site do BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, que é o agente financeiro do FSA.

IMPORTANTE: Além de ler os os editais disponíveis no site do BRDE, os proponentes devem ler também o Regulamento Geral do Prodav no portal da ANCINE.


Compartilhe